Como cobrar um preço justo pelo seu serviço de design? - Ruan Braz
Ícone Ruanbraz

Receba em primeira mão todo conteúdo pelo Facebook

Acompanhe a página e fique sabendo tudo que acontece aqui.

Como cobrar um preço justo pelo seu serviço de design gráfico?

Blog

> Como cobrar um preço justo pelo seu serviço de design gráfico?

| 21 de fevereiro de 2017

“Hoje em dia conhecemos o preço de tudo e o valor de nada.”

– OSCAR WILDE

 

Uma dos problemas que vejo muitos designers enfrentarem é a dificuldade para venderem seus serviços por um preço justo. Por muito tempo acreditei que a causa desse problema estava ligada à quantidade de pessoas desqualificadas que atuam na área e acabam desvalorizando o serviço, mas, durante toda experiência que tive, pude perceber que esse é um mercado muito grande e, por mais que exista sim essa desvalorização, existem também clientes e demandas de todos os tipos. A maneira como você se comporta é que define quem virá atrás de você.

O título deste post diz preço justo e é exatamente por causa dessa palavra que tudo depende do resultado que você consegue entregar. A complicação chega no momento em que você consegue criar repercussão, mas não consegue cobrar o preço justo pelo seu serviço. Para ajudar a resolver esse problema, decidi escrever este post com o objetivo de compartilhar algumas atitudes que tenho e me ajudam a cobrar um preço válido pelo meu serviço.

1. Foque nas necessidades do seu cliente

Este hábito está na lista dos mais importantes e muitas vezes ele é ignorado. O valor do seu trabalho está proporcionalmente ligado a quanto resultado você consegue entregar. Entenda as necessidades do seu cliente antes de vender qualquer serviço. Não adianta oferecer o que ele não quer ou não precisa.

Se está vendendo asas, procure galinhas e não os gaviões.

Se esforce para entender com quem está trabalhando. Conheça a empresa e o público do seu cliente, saiba qual é o objetivo dele. Apenas assim você poderá oferecer um serviço adequado e de qualidade. Escrevi um post que fala mais sobre isso, vale a pena conferir.

O grande segredo por trás de um briefing bem estruturado

2. Entregue resultados reais

É verdade que existem muitas pessoas cobrando valores baixos demais para realizar algum serviço, mas essas mesmas pessoas entregam resultados muito rasos para seus clientes. Os empresários precisam evoluir suas empresas e, para isso, precisam de profissionais que deem resultados. Tanto na hora de vender, quanto na hora de realizar o serviço, entregue resultados reais para seu cliente.

Antes de vender uma marca, uma identidade corporativa ou um cartaz, por exemplo, pense bem nos resultados que o seu serviço pode gerar. O design conquistou seu espaço no mundo dos negócios por ser uma forma muito eficiente de construir resultados e é muito equivocado reduzi-lo a um “desenho” ou “papel impresso”.

3. Gere valor para si próprio

Casa de ferreiro, espeto de ferro!

Assim como as empresas, nós também somos marcas no mercado e precisamos nos posicionar frente a ele. Para não sermos tratados como inexperientes, devemos agir como profissionais e, por mais que isso pareça óbvio,  nem sempre é praticado dessa forma. O que vemos são muitas pessoas com uma postura fraca esperando resultados gratificantes.

Crie a sua proposta de venda e revele para o seu público o que você tem a oferecer. Mostre o seu valor e o resultado que consegue entregar e assim começará a atrair os clientes certos para o seu negócio.

4. Entenda os fatores que influenciam o preço

Existem três fatores que você deve analisar antes de estipular qualquer preço. Esses fatores são o custo, tempo e a qualidade. Cada um deles define um limite do projeto e qualquer alteração interfere em todo o conjunto.

Custo é o valor mínimo necessário para realização do serviço. A internet que você utiliza, a gasolina que você paga, e os equipamentos que você compra são todos custos necessários para realizar o projeto. Não existem projetos sem custos, uma vez que o próprio tempo é um custo, assim como o conhecimento e as ferramentas que você utiliza.

Tempo é o período para execução do projeto, e ele pode variar de acordo com a demanda do cliente e com a sua capacidade. Se esse período for curto demais, a qualidade será comprometida ou o custo irá aumentar, pois, para fazer esse serviço em menos tempo e com qualidade, você terá que se esforçar ainda mais ou investir em recursos.

Qualidade é o grau de excelência do seu serviço. Para executar um trabalho de qualidade, você necessita do mínimo de tempo e recursos. Toda vez que o tempo ou o custo para realizar o projeto forem menores do que o necessário, a qualidade será prejudicada.

Dica de ouro: Tenha um propósito

As pessoas não compram o seu serviço, elas compram o seu porquê. Um exemplo clássico que posso apresentar é a Apple, uma empresa que não vende produtos tecnológicos, e sim soluções que desafiam o padrão do mercado. Quando compramos qualquer produto da Apple, compramos por acreditar que são diferentes e inovadores, e não por que necessitamos deles, pois, se fosse assim, qualquer outra marca nos atenderia. Essa é a lógica de consumo e ela ocorre das grandes às pequenas empresas. Compramos emocionalmente e o propósito é o que nos conecta.

Existe uma velha frase que diz: Todo pipoqueiro vende o cheiro da pipoca. É exatamente por trás desse pensamento que existe o propósito. Enquanto você oferecer o seu serviço de maneira genérica, apresentando materiais concretos demais para o seu cliente, você criará pouco vínculo emocional e será comparado a vários outros designers que assim também o fazem. Nesse momento você entrará em uma guerra de preços e passará aperto até que mude sua postura.

Costuma cobrar um preço justo pelo seu serviço?

A forma como você se comporta no mercado e os resultados que você entrega ditam o quanto as pessoas acham que você vale. Costuma cobrar um preço justo pelo seu serviço? Tem alguma dica pra compartilhar? Então deixe o seu comentário e vamos discutir mais a respeito.


Sobre Mim

Sou um designer gráfico apaixonado pelo estudo e prática do design de identidade de marcas. Acredito que, assim como as pessoas, as marcas devem ter personalidade própria e estou aqui para ajudar você a criar sua marca de valor no mercado.Saiba mais